segunda-feira, 16 de julho de 2012

TIPOLOGIA DO TABERNÁCULO




 - Tipologia é o estudo de figuras e símbolos bíblicos, especialmente de cerimônias e ordenanças do Velho Testamento, que prefiguram a Dispensação da Graça e as coisas celestiais. Aprenderemos que as semelhanças divinamente ordenada é o que chamamos de Tipo, pelo qual  pessoas, objetos e eventos são demonstrados pelo terrestre. A realidade prefigurada pelo tipo  chamamos de Antítipo

             Tipo.....................................Antítipo
          Candeeiro........................Jesus a Luz do Mundo
             Véu...............................Jesus o Intercessor

Santuário
Chama a atenção ao caráter deste como lugar Santo          
       
  Tabernáculo

em Latim “Tenda “. Hebraico “Lugar de Habitação ou Morada

Tenda da Revelação 

Refere-se a arca onde estava a Lei, o testemunho

Casa de Deus

Foi assim chamada na terra de Canaã    
                   
   Templo do Senhor ou Jeová

 Indica a ampliação do Tabernáculo em Templo  

Santuário Terrestre

   Pertencia a Dispensação Cerimonial

a.        Lugar de Encontro – Em Cristo, Deus e o Homem se encontram.
b.        Uma Morada – A humanidade é a residência da divindade
c.        Lugar de Revelação – Deus revelou seu caráter em Jesus


Ø   As Cortinas do Átrio

O átrio era um espaço retangular ao redor do tabernáculo, mais ou menos 50mts por 25mts. Era fechado por cortinas feitas de linho retorcido, suspensa sobre 60 colunas, 20 em cada lado e 10 nas extremidades. As quatro colunas ao lado oriental formavam a entrada.

a.     Linho = Justiça. Jesus nossa justiça
b.    Cortinas = Separação. Jesus nossa santificação
c.   As Vergas de Prata = Símbolo de Redenção. Jesus nosso resgatador
d.    As Colunas = Sustentavam o Tabernáculo; Jesus nosso juízo
e.    Entrada do Átrio = Um só caminho; suficiente para todos entrarem. Jesus nosso salvador
f.       4 Colunas = as 4 direções do Evangelho

Ø   Altar do Holocausto

Era a primeira coisa que se via depois de entrar no Átrio. Altar significa um lugar elevado

a.        Holocausto = aquilo que sobe. Jesus o sacrifício
b.      Madeira de Acácia e Cetim coberto de cobre = madeira esta que se achava somente no deserto e sua raiz saia duma terra seca. Jesus na sua humanidade humilde
c.     Cobre = Juízo. Jesus sofreu no calvário
d.      Os 4 Chifres aspergido com sangue = apontavam para as 4 direções do mundo. Jesus morreu por todos
e.     As Cinzas = eram levadas para um lugar limpo; Jesus foi sepultado num túmulo novo. Jesus a aceitação do verdadeiro sacrifício
f.        Fogo = manifestação da santidade e purificação. Jesus livrou nos do juízo
g.    Os varais = feitos de madeira, coberto de cobre; representam as duas partes do Evangelho: Cristo morreu pelos pecadores, Cristo foi ressuscitado.

Ø   Lavatório de Cobre

Era o lugar de purificação, onde os sacerdotes se lavariam antes de entrarem no Tabernáculo.

a.         Cobre = Juízo
b.        Água = purificação. Jesus a Palavra que purifica

Na consagração sacerdotal

Tomavam banho e lavavam todo o corpo; representava a regeneração.

Depois da consagração sacerdotal

 Lavavam somente as mãos e os pés; representava o andar santo e as obras santas e a purificação diária pela Palavra de Deus.

Ø   As Cortinas do Tabernáculo

Eram propriamente quatro cortinas de variados aspectos

a.        Pele de Animais Marinhos

Era a cortina exterior, sem forma e medida específicas, não havia nenhuma beleza. Jesus visto pelo mundo sem beleza, forma e formosura.

b.        Pele de Carneiro Tinto de Vermelho

Colocada por baixo das cortinas de peles de animais específicas, o carneiro simbolizava a substituição. Jesus morrendo em nosso lugar

c.     Pele de Cabras

Eram feitas de onze cortinas e colocadas as peles d carneiro. A cabra era usada para a oferta pelo pecado. Jesus, a oferta pelos nossos pecados.

d.        Linho Fino  Retorcido
  
Cortinas interiores, colocadas debaixo dos pêlos de cabras. Eram bordadas em quatros cores:

-    Azul: Cristo o celestial
-    Púrpura: Cristo o Rei
-    Escarlata: Cristo sofredor, morte
-    Branco: Cristo o imaculado

Obs.: Haviam desenhos de Querubins que representavam as 4 faces de Jesus:

Face de Leão – Jesus o Leão da tribo de Judá e o Rei de Israel
Face de Boi – Jesus o servo
Face de Homem – Jesus o Filho do Homem
Face de Águia – Jesus aquele que desceu e voltou para o céu

Ø   A Mesa dos Pães da Proposição

 Era feita de madeira de acácia coberta de ouro. Tinha duas coroas. Haviam quatro argolas onde passavam os varais, para ser transportada. Existiam doze pães em duas fileiras de seis.

a.        Madeira de acácia coberta de ouro – Jesus o humilde e Glorioso
b.        Coroas – Simbolizavam o reinado de Jesus na graça e no milênio
c.        Pães Preposição – literalmente sempre pão. Jesus o Pão da vida
d.        Asmos – eram feitos sem fermentos. Jesus a Verdade
e.        Argolas – o sustento para serem transportados. Jesus nosso Guia


Ø   Candeeiro de Ouro
  Tinha como finalidade fornecer a luz no Tabernáculo.

a.        Ouro – simbolizava a Glória de Deus
b.        Batido – o sofrimento de Cristo na crucificação
c.        Seis Braços e Um central – as igrejas. Jesus o centro
d.        Óleo Especial – servia de combustível para manter acesa as lâmpadas. Jesus enviou o Espírito Santo no Dia de Pentecoste
e.        Enfeites – eram em nove. O Fruto do Espírito Santo

Ø   Altar do Incenso
 Era o lugar de adoração, de culto e louvor. Feita de madeira de acácia coberto de ouro, com quatro chifres. Ficava no Lugar Santo em frente ao véu e a arca.

a.        Chifre – Poder de Jesus Cristo
b.        Incenso – Tipo de oração. Haviam quatro tipos de incensos:

Estoraque – Substância que saia duma planta no montes de Gileade. Saia sem incisão, ou seja, era espontânea. Oração e Louvor espontâneo.

Onicha – Tirada do caranguejo do fundo do Mar Vermelho. Oração que saí das profundezas do coração

Gálbano – Extraída das folhas dum arbusto da Síria, era. Moídas e quebradas produzindo assim uma seiva rala. Oração e louvor devem ser de um coração quebrantado.


Franquincenso – Amargo ao paladar. Extraída duma pequena árvore, por incisão a tarde. Durante a noite saia lentamente. Oração através de Jesus Cristo

Reduzido ao Pó – Reservado para os sacerdotes somente.

Ø   Véu

 Fazia separação entre o Lugar Santo do Santíssimo. A Arca dentro do Lugar Santíssimo era o símbolo da majestosa presença divina, onde permanecia a glória (Shekinah) entre os querubins. Enquanto Jesus não teve sua carne rasgada havia separação entre Deus e os Homens, após sua crucificação e o brado de “Está Consumado”( Tet el estai), sua carne estava rasgada, com isso o Véu se rasgou de cima a baixo , abrindo assim o caminho para a reconciliação entre Deus e Homens.(Jo 14.6).

a.        Estofo Azul – Jesus veio do Céu
b.        Púrpura – Jesus Rei
c.        Escarlata – Jesus Sofredor
d.        Linho Fino – Jesus a nossa Justiça

Obs. O Templo de Herodes, dizem as autoridades judaicas que o Véu tinha 10 cm de espessura. Opinam que um par de bois forte, não podiam rasgar esse véu.

Ø   Lugar Santíssimo

  Era a morada de Deus, um tipo de Céu onde o Supremo habita. Somente o Sumo – Sacerdote tinha autoridade para entrar.

Ø   Arca

Era uma espécie de caixa de dois cúbitos e meio de comprimento, um cúbito e meio de largura e um cúbito e meio de altura, coberta de ouro.

a.        Depositário

_ Duas Tábuas da Lei – Representa o caráter Divino
_Vaso de Maná – A provisão Divina

_Vara de Arão (Amêndoa é o tipo de ressurreição)

b.        Bordadura de Ouro

Obs. Alguns nomes da Arca: Testemunho, Aliança, Senhor Jeová, Deus, Sagrada, Fortaleza, Jeová,etc.

Ø   Propiciatório

Era uma tampa de ouro maciço que foi encaixada na arca. Nas suas duas extremidades foram formados dois querubins de ouro maciço da mesma peça. Olhavam o propiciatório e suas asas formavam uma cobertura sobre a Luz, que brilhavam entre os querubins.

a.        Ouro Batido – representava o sofrimento de Cristo
b.        Querubins – Representavam a supremacia de Deus sobre poderes naturais. Olhavam para dentro para não ver o pecado de Israel.
c.        Propiciatório – Cristo Crucificado.

Ø   Incensário de Ouro
 Usado pro Arão no dia da Expiação (ato de cobrir), nele o incenso era queimado diante da Arca.

a.        Incenso – oração
b.        Arão – Tipo de Jesus
c.        Arca – Presença de Deus

Obs. Representava a oração dos homens, a Deus em nome de Jesus Cristo.

Sumo Sacerdote
_ Aquele que era designado por Deus para agir em lugar do homem a Deus,  pois somente ele tinha acesso direto ao Lugar Santíssimo, onde estava a Arca do Concerto, pois se outra pessoa entrasse neste lugar sem autorização divina era fulminado. Iremos estudar agora a respeito de suas vestes e seus significados.

As  Vestimentas Sacerdotal
As vestiduras do sacerdote eram chamadas Sagradas e para Glória e Formosura de Deus. Eram usadas não para conforto, mas sim para revelar o caráter e a natureza de Jesus Cristo, de quem Arão era um tipo. Foram Colocadas na seguinte ordem:

 Mitra............................. (Ex. 28.36-38)
Peitoral......................... (Ex.28.15-21,29)
Cinto..............................(Ex.28.8,28)
Ëfode............................ (Ex.28.6,12)
Manto Azul.................... (Ex.28.31-35)
Túnica de Linho............ (Ex.28.29)

 Mitra
A palavra mitra vem do hebraico e significa enrolar. O linho fino de mitra foi enrolado ao redor da cabeça de Arão em forma de turbante. Esta mitra significa a obediência de Jesus a seu Pai. Na parte dianteira da mitra, numa fita azul, foi colocada uma lâmina de ouro puro, na qual foi gravada Santidade é Jeová (Jeová Kadoshi).

Peitoral
Era ligado no Éfode, uma espécie de saco, feito dos mesmos materiais, ouro, púrpura, escarlata e linho fino. Na frente havia doze pedras, de quatro fileiras de três em cada fileira. Em cada pedra foi gravada Urim e Tumim, que significa luzes e perfeições. O peitoral era quadrado, de um palmo de cada lado. A mensagem do peitoral é que Jesus, nosso Sumo Sacerdote, leva o Seu povo no Seu coração.

Cinto de Linho Fino
Amarrado sobre a túnica de linho, o cinto simboliza serviço. Representa Jesus, o Servo. Vemos o exemplo de serviço quando Jesus cingido com a toalha, lavando os pés dos discípulos, demonstrando que veio para servir a humanidade, lavar os defeitos dela, contraídos pelo contato com a poeira deste mundo (seus atos, pensamentos e palavras rebeldes contra a vontade de Deus).

Ëfode
Era a vestimenta sem manga, uma espécie de colete, descendo para baixo da cintura, era feito de duas peças, de frente e das costas, estavam ligadas aos ombros com dois botões de ônix (representavam a força do ministério de Jesus, nosso Sumo Sacerdote), ao qual estava escritos os nomes de seis tribos de Israel. Na cintura havia um cinto feito de ouro, estofo azul, púrpura, e escarlata e linho fino retorcido. Era uma vestimenta reluzente e gloriosa. Representava a revelação da Bíblia  que Jesus é Deus – Homem.

Manto Azul do Éfode
O manto foi feito de estofo azul, de uma cor azul. Era uma só peça de cima a baixo. Em cima havia abertura para a cabeça, debruçada de forma que não podia ser rompida.


Símbolo de posição, caráter e ofício

_ Jesus Cristo o nosso Sumo Sacerdote.

a)        Jesus como homem celestial

_ Jesus falou do céu, levantou os olhos aos céus, representou o céu, andou para o céu, o céu sempre esteve em seus pensamentos.

b)        As campainhas de ouro nas orlas

_Representam o falar, o testemunho e as palavras de Jesus, as campainhas representavam os noves Dons do Espírito Santo.

c)        As romãs de ouro nas orlas

_Representavam os Fruto do Espírito Santo. Acompanhavam o testemunho e os feitos de Jesus no seu ministério terreno.

Túnica
A primeira peça a ser colocada, feita de linho. Representa a pureza, a perfeição e a justiça imaculada de Jesus é universal. Vejamos alguns testemunhos a respeito disso:

Resumo das Vestimentas Sacerdotal

A Mitra.............................................O Obediente;
A Lâmina de Ouro............................O Santo;
O Peitoral.........................................O Amoroso;
O Cinto de Linho..............................O Servo;
O Éfode............................................O Deus – Homem;
As Pedras nos Ombros....................Aquele que Fortalece e Sustenta;
O Manto Azul do Éfode....................O Celestial, Cheio de Graça;
Túnica de Linho...............................O Imaculado.

 A Consagração dos Sacerdotes

_ No capítulo 8 de Levítico, vemos a ordenança de Deus para a consagração de Arão e seus filhos ao sacerdócio. Iremos agora estudarmos o significado de cada passo da consagração e o seu real significado.

Santificados pelo Sangue (vs 23).

a)        Ponta da orelha direita

è   A orelha representa o ouvir segundo a vontade de Deus.

b)        O dedo polegar da mão direita
Representa o nosso serviço que deve ser completamente consagrado ao Senhor.
c)        O dedo polegar do pé direito

Representa o nosso andar consagrado ao Senhor, demonstrando assim a nossa submissão a Deus e a sua direção.

d)        Consagrados com Ofertas pelo pecado, ofertas queimadas e as movidas perante o Senhor. ( vs 27, 28)

Representa o fato que o ministério estará intimamente ligado com a morte e a ressurreição de Cristo.

e)        Consagrados com o Óleo da Unção ( vs 30)

Representa a santificação dos pensamentos e a confirmação de Deus para aquela obra, o óleo simboliza a figura do Espírito Santo.

f)         Consagrados por Sete dias (vs 35)

Representa a totalidade, ou seja, o número sete significa a obra completa de Deus, simbolizando assim a preparação total para o exercício do ministério sacerdotal.

 As Quatro Grandes Ofertas


1º.      Holocausto - Ôlah

·               Holocausto quer dizer o que acende ou sobe, isto é, completamente queimado ou que subiu na fumaça. É chamado uma oferta de suave cheiro a Jeová. Nesta oferta a vítima era totalmente queimada, com exceção da pele que era reservada ao sumo sacerdote. Havia a imposição de mãos sobre o animal para a transferência do pecado de Jesus  em que se vê o filho de Deus oferecendo-se inteiramente ao Pai para que revelasse, como Filho, seu amor para com  o Pai. É “OBIATIO” isto é, adoração, oblação ou culto. Simboliza a parte da morte.

2º.      Oferta de Manjares - Minhah

·               Nesta oferta oferecia-se o produto da terra como cereais, farinha e óleo. Uma parte era queimada sobre o altar, mostrando a dedicação a Deus, e a outra servia para manutenção dos sacerdotes. Esta oferta significa em hebraico um “dom” (no Latim DONATIVO). Era oferta sem sangue e nos apresenta os símbolos da pessoa e caráter do nosso Senhor Jesus Cristo.
3º.      Oferta Pacífica - Shelãmim

·               Era parecida com o ôlah, mas deferindo em que apenas as partes gordurosas que os hebreus consideravam as melhores, eram de Deus. O restante era comido pelo ofertante e seus familiares e pelos sacerdotes. A oferta pacífica era expressão de gozo e gratidão da parte daqueles que estavam em comunhão com Deus. Era a figura de paz por Jesus Cristo, pela qual temos comunhão com o Pai. Esta oferta fala de Jesus, Nossa Paz. 
4º.      Oferta pelo Pecado – Hatta’t  (expiação) / Âshâm (reparação)

·               A primeira fazia parte da purificação do local, torando-o digno da habitação de Deus e o segundo trata-se do perdão dos pecados do homem. Esta oferta Jesus torna se pecado por nós, ou seja, somos portadores da natureza pecaminosa até o dia da consumação dos nossos dias. Nesta oferta o Senhor se torna substituto das nossas culpas.

  As Cerimônias
As cerimônias eram atos praticados no tabernáculo como forma de culto a Deus. São elas:

Cerimônias públicas nacionais – envolviam espiritualmente toda a nação, com apenas os sacerdotes participando e que eram prestadas de manhã e à tarde. Eram três tipos:

Cultos diários – consistiam em holocausto (consagração): de oferta de cereais (gratidão); de libações (louvor); de incenso (oração) e de lâmpada (iluminação).
Cultos semanais – que eram as ofertas diárias duplicadas e a troca dos pães da proposição.
Cultos mensais – que aconteciam no início de cada mês. Eram festas da lua nova, quando as ofertas eram aumentadas.

 Cerimônias particulares – eram realizadas para pessoas e famílias e contavam com a participação delas. Havia a expiação individual, pela qual se lidava com a culpa do indivíduo. As purificações cerimoniais que como o nome indica, serviam para obter a purificação da pessoa. Eram elas:

   1º)  Sacrifícios pacíficos.
   2º)  Dízimos
   3º)  Votos

As Festas Nacionais

1 – PESAJ (Pexá) – Páscoa associada à dos Pães Asmos, com duração de uma semana; mês de Nisã (março – abril) noite de Lua cheia, depois do inverno. Representa a libertação do povo da escravidão do Egito, pois a palavra páscoa significa saltar ou pular, como o anjo saltou as casas dos hebreus e a dos Asmos lembrava as dificuldades vividas no Egito pelo povo. Nesta festa lê-se o livro de Cantares.
2 – SHAVUOT (Xavuote) – Festa de Pentecostes ou Primícias; mês de Sivã (maio – junho). Era comemorado cinqüenta dias depois da páscoa. Representa a colheita dos primeiros frutos da terra. No NT, vemos este acontecimento em At 2 mostrando o inicio da colheita da igreja. Nesta festa lê-se o livro de Rute.
3 – SUCOT (Sucoti) Festa dos Tabernáculos; mês de Tishri (setembro - outubro)  dia 15 a 21. Representa a caminhada do povo no deserto onde habitavam em tendas. Nesta festa lê-se o livro de Eclesiastes. É cantado os salmos 120 a 134, conhecidos como cânticos de degraus, de subida ou romaria uma tradução hebraica shir hama’ alôt.
4 – ROSH HASHANA (Roxe xana) – Ano Novo; mês de Thisri (setembro - outubro)  dia 1 a 3. Após o exílio Babilônico, este é o dia do “soar da trombeta” tornou-se conhecido como, o Ano Novo Judaico. Na Torá, tudo o que conhecemos é que é um dia de “fazer tocar as trombetas”.
5 – YON KIPUR (Íon quipur) – Dia do Perdão, mês de Thisri (setembro - outubro)  dia 10; jejum de um dia  de 6:00 ás 18:00.
6 – JANUCA (Ránucá) – Festa das Luzes, 25 de  Kislev (novembro) a 2 de Tuwet(Tubet) (dezembro). Durava oito dias em comemoração da purificação do templo, três anos depois de profanado por Antíoco Epífanes.
7 – PURIM – Festa da Sorte, 14 de Adar (fevereiro - março); festa da libertação do poder de Hamã, ao tempo da rainha Ester. Pur está ligado a dado, isto é, objeto de sorte. Nesta festa lê-se o livro de Ester.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...